Banner `Pitágoras topo

Botticelli

 

Sandro Botticelli

Alessandro di Mariano di Vanni Fillipepi nasceu em Florença, provavelmente nos primeiros meses de 1445, pois em Março de 1447, seu pai, o curtidor de peles Mariano Fillipepi, declarou às autoridades locais que o menino tinha dois anos.

Não se sabe exatamente donde provém o nome Botticelli, que Sandro (diminutivo de Alessandro) tornou célebre, mas ter-lhe-á advindo de seu irmão mais velho, Giovanni,a quem por causa da gordura, chamavam o Botticello (barril).

A sua família vivia modestamente no bairro florentino de Ognissanti. E mesmo depois de obter fortuna e êxito, Sandro continuou fiel ao seu bairro,e até ao fim da vida viveu na casa que tinha sido de seus pais.

Botticelli começa a aprender pintura por volta de 1461/2, e é possível que tenha sido discípulo de Fillippo Lippi, mestre florentino.Mas após a morte do seu provável mestre, em 1469, Botticelli estabeleceu-se como pintor independente, instalando a sua oficina em sua casa.

Em 1470, recebeu a sua primeira encomenda documentada. Tratava-se de realizar uma figura da Fortaleza para uma série de sete virtudes que iria decorar a Câmara de Conselho da Corporação dos Mercadores.

Cerca de três anos mais tarde, a fama de Botticelli havia crescido tanto que ultrapassara os limites de Florença. Em 1473, foi convidado para pintar um fresco na Catedral de Pisa; o projeto não chegou a se concretizar, mas pela sua envergadura, contribuiu para aumentar o renome do artista.
Por volta de 1475, um banqueiro florentino encomendou-lhe uma Adoração dos Magos para decorar a Igreja de Santa Maria de Novelha. Esta obra acabou por ser uma das melhores obras de Botticelli.

Mais tarde, por volta de 1481/82, o Papa Sisto IV convidou alguns artista de Florença para participarem na decoração da recém construída Capela Sistina, no Vaticano. Sandro Botticelli era um desses artistas, chegando a Roma no verão de 1481 onde permaneceu até ao ano seguinte, executando três frescos pelos quais foi regiamente pago.

Em 1485, realiza também uma importante obra designada "O Nascimento de Vênus".

Com tudo isto, Botticelli estava no auge da fama e no esplendor do seu talento. Choviam-lhe encomendas para pintar cenas religiosas e profanas, retratos, estandartes, e ele executava-as logo, ajudado por vários assistentes. A sua oficina vivia em febril atividade, mas todos trabalhavam contentes, estimulados pelo exemplo do mestre, que ainda lhes proporcionava boas oportunidades para rir.