Banner `Pitágoras topo

Michelangelo

 

Michelangelo

Descendentes dos condes de Canossa, Michelangelo di Ludovico Buonarroti Simoni. Nasceu em 06 de Março de 1475 em Caprese, uma vila na Toscana. Seu pai Lodovico tinha um cargo equivalente ao de prefeito. Entre os 7 e 10 anos foi levado para a escola para ser um homem de letras. O desejo de menino era desenhar. O pai o leva, em 1488 para o atelier de Ghirlandino, e em 1490 para a casa dos Medici. Lá conviveu com artistas e com Giovanni de Medici (futuro papa Leão X) e Giulio de Medici (futuro papa Clemente VII). Após a morte de Lorenzo (1492) fez estudos de anatomia usando cadáveres no Hospital do Espírito Santo. Agradecido, esculpio um crucifixo para o hospital. Em 1494, em Bolonha, realiza três esculturas para o túmulo de São Domênico. Em 1495, em Florença esculpio uma São Baptista para os Medici e um cupido que foi vendido em Roma como antiguidade. O cardeal Rafaelle Riario, descobriu a falsificação e fascinado com a obra chama Michelangelo a Roma em 1496. Em 1497 termina "Baco", adquirida por Jacopo Galli, colecionador de esculturas. O cardeal francês Jean Bilheres de Langranles encomenda em 1498 a Pietá, para decorar seu túmulo. Em 1501 retorna a Florença e concentra seus esforços sobre um imenso bloco de mármore quase imprestável e abandonado. Quatro anos mais tarde fica pronta a escultura "David".

Em 1503 comanda a realização das esculturas dos apóstolos para a catedral de Florença. Em 1504 inicia os estudos para a "Batalha de cascina" para ser um pedant à "Batalha de Anghiari" encomendada a Leonardo da Vinci para a sala do conselho de Senhoria. As duas obras São inacabadas.
Nesses anos executam três célebres "tondos", dois em mármore, Tondo Petti, Tondo Tadei e o Tondo Doni (A sagrada Família). Em 1505 o papa Júlio II encarrega - o de criar seu túmulo. Do projeto se conserva a série "Os Escravos" (Louvre e Academia de Florença). A escultura de Moisés e outras figuras foram reunidas na igreja Romana de São Pedro em Vincoli. Em 1508 inicia os afrescos da Capela Sistina, empreendimento gigantesco que termina em outubro de 1512. Dividindo seu tempo entre Roma e Florença, Michelangelo foi encarregado, em 1518 pelo Papa Leão X de construir e adornar a fachada da igreja de São Lourenço, projeto jamais realizado cujo modelo em madeira está na Casa Buonarroti. O Papa encomenda a construção, em 1512, de uma nova sacristia para a igreja de São Lourenço, destinada a tumba dos Medici. O artista se ocupa dela até 1534, e por vontade do novo papa da familia Medici, Clemente VII, que ao mesmo tempo, leh encomenda a Biblioteca Laurenciana (1524), parte do conjunto arquitetônico. Michelangelo trabalha entre 1527 e 1530 como arquiteto militar para a defesa de Florença. Nos anos seguinte pede asilo político em Ferrara e Veneza. Ao mesmo tempo em que trabalha como arquiteto nas fortificações, finaliza a tumba dos Médici. Com retorno dos Médici a Florença (1532), alterna suas estadas cada vez mais longas em Roma, onde estabelece definitivamente em 1534, trabalhando até 1541, no afresco do altar da capela Sistina O Juízo Final. Entre 1541 e 1550 realiza os afrescos da capela Paulina no Vaticano. Em 1546 completa o Palácio Farnese e no ano seguinte é nomeado arquiteto da Catedral de São Pedro, cargo que conserva até a morte. A atividade de Michelangelo no fim da sua vida se concentra na arquitetura. No período anterior à sua morte trabalha em sua última obra, a "Pietá Rondanini", falecendo em 18 de fevereiro de 1564 com 89 anos sendo enterrado na igreja de Santi Apostoli, em Roma.

Vivo para o pecado, morrendo para mim mesmo;
não é mais a minha vida, mas uma vida de pecado;
meu bom céu, meu mal por mim mesmo me foi dado,
pelo meu livre arbítrio, do qual fui privado.
Ó carne, ó sangue, ó madeira, ó extrema dor,
apenas por ti é justificado o pecado no qual
nasci e também meu pai. És o único bem;
Que sua suprema piedade salve-me de minha.
Iníqua condição, tão perto da morte e,
no entanto tão longe de Deus."

Michelangelo Buonarroti