Banner `Pitágoras topo

O Homem que Calculava - Resumos

 O homem que calculava, de autoria do professor e engenheiro civil, o carioca Júlio César de Mello e Souza - 1895-1974.

  Narra as aventuras e proezas matemáticas do algebrista persa , fictício , criado pelo autor; que retrata a vida de Beremiz Samir, personagem central de eventos que se desenrolam no século XIII.

 O livro apresenta de forma romanceada alguns problemas, quebra-cabeças e curiosidades matemáticas.

  Em certa passagem, narra uma das lendas da origem do jogo de xadrez. Ao longo da leitura também se vai conhecendo alguns costumes da cultura Islã.

 Beremiz Samir, é o protagonista principal da história contada neste livro.

 Vivemos em tempos difíceis pra uns e nem tanto pra outros.

 Mas isto não impede que ponderemos e permitamos gostosas divagações sobre o assunto abaixo descrito.

 Considerando os efeitos da aplicação da matemática no meio social em que vivemos; haveremos de concordar que é tão necessária quanto as coisas mais essenciais que necessitamos para sobreviver. Tais como oxigênio, água, alimentação, afetividade etc. Imaginemos quais formas teríamos à nossa volta, se nas circunstâncias que proporcionaram sua criação não tivesse feito uso da matemática. Quanta coisa seria diferente.

 Vejamos agora então:

 Quem aplica a matemática?

 Ora a matemática é aplicada pelos doutos e pelos incultos.

 Se nos vemos no mais sofisticado meio social, que se possa conceber no planeta atualmente, haveremos de perceber que ali, o uso desta ciência maravilhosa está sendo imprescindível, isso mesmo! Está. Assim no tempo presente mesmo; pois além da importância crucial que não podemos deixar de atribuir. A matemática em todo momento é utilizada e aplicada. E se por outro lado, nos situarmos em rudimentar meio social, possível de ser localizado no planeta; com certeza aí também estão sendo aplicados os princípios básicos da matemática.

 Diriam os leitores, como encontraríamos alguém num ambiente rudimentar da forma descrita, certamente não menos hostil, que estivesse aplicando seus conhecimentos matemáticos.

 Caro leitor, temos que admitir; matemática é tão excelente e tão constantemente aplicada que não depende de estar associada a seres humanos. Determinado ambiente, por mais sofisticado ou rudimentar que seja, para que aí se perceba a matemática acontecendo! Se for encontrada alguma forma de vida; a matemática aí está.
Se nenhuma forma de vida for encontrada; do mesmo modo a matemática aí se encontra presente, pelas forças naturais interagindo entre si. As ondas do mar na sua simetria que desperta beleza!.

 As areias do deserto e da praia, tocadas pelo vento e pelas águas respectivamente, vão esculpindo formas que maravilham os olhos das privilegiadas criaturas que tenham a oportunidade de as contemplar.

 Os frutos ao caírem das árvores nos bosques, com seus formatos predefinidos, seus sabores adoçados na medita exata de um paladar agradável, prova que cálculos foram feitos para tudo dar certo.

 Teríamos aqui uma lista infinda de provas substancias da onipresença da matemática em todo o tempo e espaço!

 Porém este breve relato se prende ao objetivo de tornar notória a impressão causada pela leitura do livro acima citado, onde Beremiz Samir, delicia-nos com natural desenvoltura no uso e aplicação da matemática.

 Acreditem, até o mundo seria mais pacífico e as pessoas também mais pacíficas, se dessem conta da presença marcante e fundamental da matemática em suas vidas, desde o nascimento e mesmo antes do próprio nascimento; até à morte e da mesma forma mesmo depois da própria morte.

 Creio que a partir deste momento, se você era do tipo que ao usar um copo para beber água, para saciar sua sede, não tinha percepção nem preocupação com as formas geométricas impregnadas no copo pelo fabricante para agradar a quem o usar, saiba que isto aqui escrito é a mais pura verdade. Portanto acredite, a matemática está dentro e em volta de você.

 Um forte abraço, matematicamente grandioso e abençoado à todos que puderam captar e compreender esta mensagem.

 Fica aqui uma forte sugestão da leitura do livro, lembrando que sua narrativa é extremamente agradável.

 

Resumo do Livro O  Homem que Calculava. 

Imprimir Email

  • /index.php/salas/literatura/24-resumos/217-dom-casmurro-resumos
  • /index.php/salas/literatura/24-resumos/215-o-pequeno-principe-resumos