Bailarina Goiana é Indicada para 'Oscar' do Balé na Rússia

Amanda Gomes, de 22 anos, compete pelo prêmio de melhor solista com sua performance no espetáculo 'Esmeralda' pela companhia russa Kazan.

Amanda Gomes, de 22 anos, que compete por prêmio de melhor bailarina em 'Oscar' do balé (Foto: Ramis Nasmiev/Divulgação)

A bailarina goiana Amanda Moraes Gomes, de 22 anos, é uma das indicadas para o prêmio internacional Benois de la Danse, realizado em Moscou, na Rússia. A premiação é conhecida popularmente como o "Oscar" do balé, por ser uma das mais importantes e reconhecidas do mundo.

O prêmio existe desde de 1992. A premiação ocorrerá nos próximos dias 5 e 6 de junho, no palco do Teatro Bolshoi em Moscou. Amanda compete pela performance no espetáculo "Esmeralda", no qual dança como solista. O balé conta a história de uma cigana desejada por muitos homens e que é falsamente acusada de homicídio, misturando a alegria e leveza da personagem com o drama intenso e trágico que ela vive.

A bailarina conta que ficou muito feliz ao saber da indicação. Para ela, foi uma surpresa especial ser nomeada para o prêmio com as demais candidatas. Independentemente do resultado final, ela conta que aguarda com boas expectativas o momento de dividir o palco com profissionais que ela admira.

“O mais importante para mim é poder concorrer com essas bailarinas de nível altíssimo. Elas são bailarinas de classe em que eu mesma me inspiro há muito tempo."

Amanda Gomes, de 22 anos, dançando como solista no espetáculo Esmeralda Goiás (Foto: Ramis Nasimev/Divulgação)

"Estou ansiosa, não pelo resultado, mas para viver esse momento no Teatro Bolshoi”, contou.

Com apenas 22 anos, ela é a competidora mais jovem, enquanto as demais concorrentes têm entre 28 e 38 anos. Além da nomeação precoce, Amanda conta que ficou especialmente surpresa em ser nomeada pela performance no balé "Esmeralda", experiência que ela considerou desafiadora na sua carreira.

“É um balé muito difícil. Tem o início muito alegre, então tem que saber interpretar, tem que ter técnica, tem que ter emoção. Depois, ao longo da história, tem partes bem dramáticas também. Para mim foi uma experiência bem interessante”, relatou.

Já há quatro anos morando na Rússia para dançar profissionalmente e com nove premiações internacionais, Amanda recorda que se apaixonou pela dança ainda criança. Depois de anos dançando profissionalmente, ela vê o prêmio como uma das grandes realizações da carreira.

“Estou vibrando. Essa indicação significa muito para mim, tanto pessoalmente como para a carreira de bailarina. [...]Eu lembro que quis ser bailarina profissional no dia que eu descobri que balé poderia ser uma profissão”, brincou.

  • Orgulho

Pai e empresário de Amanda, Zeuxis Gomes de Morais Filho, de 49 anos, conta que a filha sempre teve talento para a dança e a nomeação é o reconhecimento do trabalho que ela desempenha desde os 7 anos. Segundo ele, a jovem investe e se destaca na carreira desde criança.

“Ela começou fazendo aulas de dança aqui em Goiânia e, aos 9, uma companhia de São Paulo a chamou. Mas só nos mudamos daqui quando ela tinha 10 anos e fomos para Santa Catarina, já que ela passou na seleção do Balé Bolshoi do Brasil. [Foi] Uma das 40 escolhidas entre 120 mil concorrentes. Ela concluiu o curso com 16 anos e desde os 18 está no Balé e Ópera de Kasan, na Rússia”, contou.

Contente, ele diz que toda a família comemorou a indicação dela para o prêmio de melhor bailarina no Benois de la Danse. Segundo ele, a prioridade sempre foi apoiá-la na carreira.

“Temos muito orgulho. A gente sabe o quanto ela se esforça para chegar aonde ela chegou. Ela conquistou tudo isso."

"Receber uma indicação desse porte é gratificante demais. No nosso país há ainda grande dificuldade de reconhecimento, mas ela já recebeu nove prêmios internacionais e desde os 13 recebe convites para dançar no exterior”, completou.

“Ela começou fazendo aulas de dança aqui em Goiânia e, aos 9, uma companhia de São Paulo a chamou. Mas só nos mudamos daqui quando ela tinha 10 anos e fomos para Santa Catarina, já que ela passou na seleção do Balé Bolshoi do Brasil. [Foi] Uma das 40 escolhidas entre 120 mil concorrentes. Ela concluiu o curso com 16 anos e desde os 18 está no Balé e Ópera de Kasan, na Rússia”, contou.

Contente, ele diz que toda a família comemorou a indicação dela para o prêmio de melhor bailarina no Benois de la Danse. Segundo ele, a prioridade sempre foi apoiá-la na carreira.

“Temos muito orgulho. A gente sabe o quanto ela se esforça para chegar aonde ela chegou. Ela conquistou tudo isso."

"Receber uma indicação desse porte é gratificante demais. No nosso país há ainda grande dificuldade de reconhecimento, mas ela já recebeu nove prêmios internacionais e desde os 13 recebe convites para dançar no exterior”, completou.

Amanda Gomes, de 22 anos, bailarina goiana que compete por prêmio internacional Goiás (Foto: Ramis Nasmiev/Divulgação)

Tags: brasil, Goiana, Bailarina, 'Oscar', Balé, Rússia, Brasileira

Imprimir Email

  • /index.php/salas/65-espaco-cultural/noticias/1071-plataforma-online-video-nas-aldeias-disponibiliza-documentarios-de-cineastas-indigenas
  • /index.php/salas/65-espaco-cultural/noticias/1069-projeto-circense-no-rio-de-janeiro