Tristão e Isolda

 

 O filme é uma excelente oportunidade de conhecer um pouco das histórias medievais. É um filme belíssimo em que podemos ver características bem marcantes dessa época. Ele levou para a telona um livro medieval, mundialmnente lido e de autor desconhecido. Este último fato é que deu ao filme uma dificuldade tamanha e brilhantismo. Isto porque os diretores da obra cinematográfica tentaram unir elementos das três versões de Tristão e Isolda existentes hoje.

 A primeira e mais usada pelos professores de literatura é a bretã, as outras são a Céltica e a viking. Em todas há a história de amor entre um inglês e uma irlandesa, mas as diferenças se dá por conta dos detalhes. Por exemplo no que diz respeito a maneira como eles se conheceram, a bretã fala do fio de cabelo dourado que Tristão vai a procura, a céltica só do ferimento, bem como a viking. Outra diferença gritante ocorre na punição de Isolda, a bretã faz apenas um tribunal e determina a prisão e exílio de Tristão, já a céltica e a viking criam as provas, a e tocar  o fogo e não se queimar e a do rio a ser atravessado sem se molhar.

 O criador desta obra-prima cinematográfica retirou com propriedade todos os elementos do fantástico e do maravilhoso como o dragão e o exilir do amor. Prefereiu valorizar a história de amor e as questões políticas, enfatizando nitidamente a idealização amorosa e o papel do herói medieval, aquele que abre mão de seus interesses pessoais por conta de uma causa maior,no caso a Inglaterra de Tristão.

 Para os que usarão o filme como material de pesquisa ou recurso de sala de aula vai uma dica, associar o filme a uma das versões, minha indicação é a edição feita pela Francisco Alves, ouvir a o´pera de Wagner de título homônimo e leitura de cantigas de amor. Com isso ter-se-á uma visão mais globalizada do sentimento amoroso nesta época tão obscura que foi a Idade Média, ou como alguns preferem, a Idade das Trevas.

Monica Belleza
http://www.monicabelleza.com.br

Sinopse

Primeiro separados por nações em guerra, depois pela lealdade ao Rei e ao país, "Tristão e Isolda" é uma história de amor impossível, de um casal que deve suprimir suas emoções pela paz e futuro da Inglaterra.

Na Europa da Idade Média, tribos lutam pelo poder após a queda do império romano. Tristão tem toda sua família assassinada por conspiradores, que sabotam o plano de seu pai de unificar a Inglaterra. Ele é adotado por seu tio, Lorde Marke, e vira seu maior guerreiro, dando continuidade aos planos de seu pai.

Ferido em combate, Tristão é dado como morto e jogado ao mar em um enterro Viking. Ele é resgatado e tratado em segredo pela bela Isolda, por quem se apaixona. O casal troca juras de amor, mas não os seus nomes. Tristão deixa a praia e volta para sua terra, sem saber que Isolda é filha de Donnchadh, o rei Irlandês, seu principal inimigo.

Donnchadh organiza um campeonato de lutas até a morte, cujo prêmio é a mão de sua filha. Tristão tem a chance de fazer de Lorde Marke um novo rei e realizar o sonho de seu falecido pai ao unir Inglaterra e Irlanda. Tristão ganha Isolda para seu tio, mas o amor deles é maior do que a força da guerra. Por mais que neguem sua paixão, por mais ela arde. Tristão e Isolda se esforçam em ficar separados, mas são atraídos um ao outro, arriscando tudo por um último momento juntos.

Elenco

James Franco, Sophia Myles, Rufus Sewell, David O'Hara, Henry Cavill.

Curiosidades

Produzido por Ridley Scott, "Tristão e Isolda" é baseado na milenar lenda Celta de paixão jurada, que virou uma famosa ópera de Richard Wagner e inspirou William Shakespeare a escrever "Romeu e Julieta".

Ficha Técnica

Direção: Kevin Reynolds
Gênero: Drama/Épico
Distribuidora: Europa Filmes
Estreia: 23 de Junho de 2006

 

Imprimir Email

  • /index.php/salas/cinema/71-idade-media/305-nome-da-rosa