A Morte e a Morte de Quincas Berro D'Água

Bela e descontraída história de um indivíduo (malandro) amado por seus colegas de farra, só que falecido.

E ninguém percebe, salvo sua honrada família.

É a própria definição da alma baiana.

 

Bsal

 

 A Morte e a Morte de Quincas Berro D'Água

Jorge Amado narra a história das várias mortes de Joaquim Soares da Cunha, vulgo Quincas Berro D'água, cidadão exemplar que a certa altura da vida decide abandonar a família e a reputação ilibada para juntar-se à malandragem da cidade. Algum tempo depois, Quincas é encontrado sem vida em seu quarto imundo. Sua envergonhada família tenta restituir-lhe a compostura, vesti-lo e enterrá-lo com decência; mas, no velório, os amigos de copo e farra dão-lhe cachaça, despem-no dos trajes formais e fazem-no voltar a ser o bom e velho Quincas. Levado ao Pelourinho, o finado joga capoeira, abraça meretrizes, canta, ri e segue a farra em direção à sua segunda e apoteótica morte.

Jorge Amado

 

 

Imprimir Email

  • /index.php/salas/literatura/31-sugestao-de-leitura/438-o-papa-negro
  • /index.php/salas/literatura/31-sugestao-de-leitura/180-as-brumas-de-avalon