Memórias Póstumas de Brás Cubas

Publicado em 1881, este livro inaugura o Realismo brasileiro.

O  interessante é quem o narra: um defunto.

 Brás Cubas é um típico burguês da segunda metade do século XIX. Se na infância o personagem fora uma criança abastada, torna-se um jovem adulto leviano.

Quando volta ao Brasil, por causa da doença da mãe, a questão da morte o confronta..

Na maturidade, começa a buscar a compensação pela existência e busca notoriedade e respeitabilidade; tenta ser ministro. E pouco antes de morrer, imagina ainda um último modo de marcar sua vida, inventando uma medicação que traia a fama tão almejada.

 

Resumo:

 A obra começa contando detalhes do funeral de Brás Cubas, retomando em seguida a ordem cronológica dos fatos, relatando a infância e a primeira paixão, aos 17 anos, pela cortesã Marcela.

Da mesma forma como foi para Portugal, em Coimbra, estudar Direito a mandado do pai consternado por causa da sua paixão por Márcia, Brás também volta a chamado do próprio pai, por causa da suspeita de que sua mãe está à beira da morte.

Neste ínterim, Inicia um namoro com Eugênia, a filha de uma amiga pobre; o pai, contrariado pelo novo relacionamento do filho, procura arranjar um casamento com Virgília, a filha de um político. Mas esta moça acaba casando-se com um político chamado Lobo Neves, e vem a ser a amante de Brás.

Porém, mesmo antes deste romance proibido ter início, morre o pai de Brás, dando origem a um litígio entre ele e a irmã Sabina pela herança.

 Paralelamente a tudo isso, Brás Cubas reencontra Quincas Borba, amigo desde os tempos de colégio. Os personagens criados por Machado de Assis navegam pelas páginas conforme estabelece os pensamentos de Brás Cubas. Entre eles, Quincas Borba merece uma atenção especial. A. influencia de Quincas marca Brás Cubas profundamente com a sua teoria do Humanitismo. Morre louco, pregando que tudo o que acontece na vida faz parte de um quadro maior de preservação da essência humana. O Humanitismo convém a Brás para justificar sua própria existência vazia.

 Em seguida a este ponto, o namorador Brás Cubas começa então um outro namoro; agora com a sobrinha do cunhado Cotrim, mas subitamente a garota morre aos 19 anos; que tragédia! Ele, que já se tornara deputado, fracassa na tentativa de se tornar ministro de Estado, fundando um jornal de oposição.

Procurado mais tarde por Virgília, já com a idade bem avançada, Brás ampara dona Plácida (pssoa que dava guarida aos seus encontros no passado com Virgília), que morre pouco depois. É um período repleto de perdas e decepções: morre Marcela, o amigo Quincas Borba, que acabara ficando louco, além de Lobo Neves; e Eugênia, a ex-namorada, filha de uma amiga pobre, aparece em um cortiço.

 Ao tentar inventar uma substância para afecções cutâneas que lhe daria a fama tão desejada, Brás Cubas adoece e recebe a visita da ex-amante Virgília e do filho dela. Ele acaba morrendo aos 64 anos e, então, decide contar sua vida em detalhes excitado pela experiência da morte,

 

Curiosidade sobre o Autor:

 Se escritores românticos, como pr exemplo José de Alencar, conseguiram estabelecer o romance como um gênero literário respeitável no Brasil, foi Machado de Assis quem elevou a prosa brasileira ao nível da melhor literatura mundial em sua época. Sua obra não almeja mais apenas divertir, moralizar ou afirmar valores nacionais, mas tem como objetivo fazer com que  o homem reflita mais sobre valores universais.

O chamado Realismo na Literatura no Brasil abrange a oposição ao Romantismo e pela atitude crítica em relação à sociedade.

 

Memórias Póstumas de Brás Cubas 

O romance apresenta a vida inútil do anti-herói Brás Cubas. Por sua vez, o autor Machado de Assis surpreende a cada página com uma ironia sagaz, recheada com descobertas de pura psicanálise. Assim, introduz o romance psicológico na Literatura brasileira. O seu enfoque central não é a vida social em si ou a descrição de paisagens, mas a forma como seus personagens vêem e sentem as coisas, investindo na performance interior de cada personagem. Ou seja, Machado passa a concentrar sua narrativa na visão de mundo de seus personagens, expressando suas contradições.

Sesinando Fontes
http://sesinandofontes.blogspot.com

 

 

 

Imprimir Email

  • /index.php/salas/literatura/31-sugestao-de-leitura/578-sonho-de-uma-noite-de-verao
  • /index.php/salas/literatura/31-sugestao-de-leitura/438-o-papa-negro